quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Como se cura uma ferida?



Amados irmãos quando a bíblia fala que o Senhor é nosso pastor significa que o Senhor tem todo o preparo para cuidar e curar as feridas das ovelhas.
Por tanto primeiro passo, que nós temos que aprender para o milagre da cura, é abrir o coração. Seja honesto com alguém da igreja, abra teu coração.
O Segundo passo é  Libera, hoje, aqueles que te feriram. só há um caminho para curar as feridas do coração, sabe qual é? O PerdãoMesmo que as pessoas que te feriram não mereçam perdão, perdoe-as, porque será pro teu próprio bem. 
Jesus foi ferido na cabeça, no rosto, nas costas, nas mãos, nos pés, ao lado. Ele foi traído, ele foi rejeitado, ele foi abusado, ele foi odiado, ele foi injustiçado. Sabes qual foi a reação dele?Lucas 23:34: “Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem.” 
 

Hoje resolvi trazer esse vídeo  para  refletir
Fica na paz do nosso Senhor Jesus
:)

domingo, 12 de junho de 2011

Você é uma obra prima criada por Deus!

Quando é a correção uma ação necessária? Quando alguém ceder ao pecado. A Bíblia diz em Gálatas 2:11 “Quando, porém, Cefas veio a Antioquia, resisti-lhe na cara, porque era repreensível.”
A correção é apropriada quando é baseada em amor em vez de condenação. A Bíblia diz em 1 Coríntios 4:14 “Não escrevo estas coisas para vos envergonhar, mas para vos admoestar, como a filhos meus amados.”
A corrreção é necessária para aqueles que querem crescer espiritualmente. A Bíblia diz em Hebreus 12:7 “É para disciplina que sofreis; Deus vos trata como a filhos; pois qual é o filho a quem o pai não corrija?”
As Escrituras são uma fonte de correção para as nossas vidas. A Bíblia diz em 2 Timóteo 3:16-17 “Toda Escritura é divinamente inspirada e proveitosa para ensinar, para repreender, para corrigir, para instruir em justiça; para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente preparado para toda boa obra.”



sexta-feira, 13 de maio de 2011

Enquanto Espero



Achamos um tanto difícil quando em momentos de tribulações de nossas vidas, alguém chegue até nós e diga: “Espera no Senhor”.


Posso afirmar com toda a certeza de meu coração, que esta espera, embora seja demorada, te que ser encarada e vivida com bons olhos e sempre atentos aos planos de Deus, pois este momento é o mais belo na vida de um cristão, é onde ele aprende a crer, viver e esperar no Senhor, tudo o que Ele tem preparado para a vida de cada um, porque o Senhor sabe o fardo que é suportado por mim e por você.
Acreditamos que as coisas em nossas vidas têm que acontecer no momento em que desejamos, mas não é bem assim. Deus sabe todas as coisas de nossa vida e o que é necessário, e qual será a hora que irá se concretizar.
Tem uma música da Celina Borges, que diz que temos que sofrer as demoras de Deus, esperar com paciência, e aprender e entender que o senhor usa desses momentos para nos formar quanto pessoa, nos dado acima de tudo maturidade espiritual.

E acredite meu irmão, como diz em Eclo 2 – 1:6 “....Se entrardes para o serviço de Deus permanece firme...”, pois quando cuidamos das coisas do Senhor, Ele cuida das nossas. Deixemos de lado todas as nossas preocupações exageradas, nossos medos, e anseios, porque o Senhor nosso Deus, em sua infinita misericórdia está olhando por nós, e preparando as bênçãos que irá recair sobre as nossas vidas.
 “ Nos gloriamos até nas tribulações. Pois sabemos que a tribulação produz paciência, a paciência prova a fidelidade, e a fidelidade comprovada, produz a esperança. E a esperança não engana porque o Amor de Deus foi derramado em nossos corações pelo Espírito de Deus que nos foi dado.” (Romanos 5 – 3:5)
 Peçamos a Deus o Dom da Paciência e do amor, para que possamos fielmente esperar no Senhor.
 Deus os Abençoe!

segunda-feira, 9 de maio de 2011

As Benção da Tribulação

 

"Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida." Apocalipse 2.10

Tribulações nos trazem conseqüências abençoadas. A Bíblia nos ensina que "através de muitas tribulações, nos importa entrar no reino de Deus." Por quê? Resposta: "Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós eterno peso de glória, acima de toda comparação." Quais são os resultados abençoados da tribulação?


1. A tribulação faz com que oremos mais fervorosamente, faz com que demos mais valor à ação de Deus do que às nossas próprias ações. "...Deus que me respondeu no dia da minha angústia."


2. A tribulação nos faz experimentar de maneira especial o poder do Senhor: "Porque foste... a fortaleza do necessitado na sua angústia."


3. A tribulação também nos move a buscar mais seriamente o Senhor: "Senhor, na angústia te buscaram."


4. Na tribulação experimentamos de modo especial o consolo do Senhor: "É ele que nos conforta em toda a nossa tribulação."


5. Tribulação nos proporciona o que em tempos normais só raras vezes temos, ou seja, paciência: "...sabendo que a tribulação produz perseverança (paciência)."


6. Por meio da tribulação recebemos abundância de alegria: "porque no meio de muita prova de tribulação, manifestaram abundância de alegria."

terça-feira, 26 de abril de 2011

A Graça de Deus

Para isto mesmo te levantei, para mostrar em ti o meu poder e para que o meu nome seja anunciado por toda a terra.  Romanos 9.17

Se você deseja ter vitória sobre algo, prepare-se para trabalhar nisso. Mas não se trata de depender de si mesmo ou vencer na vida por sua própria determinação. Deus nos dá graça para fazer boas obras. Mas a graça não significa que nossa carne tem toda a liberdade enquanto apenas deitamos e vamos dormir.
Você tem de fazer boas obras, ser um servo da justiça. Você foi feito para ter responsabilidade, e Deus o ajudará a realizar todas as coisas que lhe der para fazer. Ele o liberta da escravidão do pecado para que você possa se conformar à sua vontade divina em pensamento, propósito e ação (veja Romanos 6.18). A vitória é obtida por meio da graça de Deus, mas você tem de escolher confiar nEle em cada passo do caminho.

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Quando a prosperidade não é bênção



Prosperar é natural e faz parte da graça que Deus derramou sobre a terra e sobre toda a humanidade. Ao olharmos para a natureza, vemos que Deus foi um criador extravagante, pois Ele criou riquezas abundantes! Ao falar ao homem, Deus o abençoou com palavras de abundância em relação a diversas áreas da sua vida, dizendo-lhe que se multiplicasse, se alimentasse de tudo o que tinha sido criado e dominasse sobre tudo. (Gn 1.28,29)

Existe, porém, um grande conflito espiritual em relação à abundância e prosperidade. Satanás não quer que os filhos de Deus prosperem e que vivam com tudo a que têm direito. Os crentes aceitam facilmente que é satanás que mantém as pessoas presas ao pecado e à doença, mas pensam que agrada a Deus que as pessoas não prosperem para que sejam humildes e ganhem o céu! Por isso, as pessoas são ensinadas a se resignarem e conformarem com a pobreza e a miséria.

Existem duas formas diferentes de prosperar: pela força da nossa mão ou pela mão de Deus.
Abraão é um exemplo de como devemos prosperar quando somos confrontados com essas duas formas de prosperar. Abraão era um homem riquíssimo, de muita influência e poder de guerra, ao ponto de lhe ter sido pedido auxílio numa guerra entre reis de várias regiões.

Depois da vitória que Abrão conseguiu, ao resgatar o povo de Sodoma das mãos de outro rei, o rei de Sodoma veio ter com ele e ofereceu-lhe todos os bens que, juntamente com as pessoas, ele tinha conseguido resgatar. (Gn 14.23)

Jesus também contou uma parábola acerca das duas formas diferentes de prosperar e construir a nossa vida, falando de dois homens que construíram cada um deles, a sua casa. (Mt 7.24-27)
Esses dois homens empreenderam e construíram duas casas, mas fizeram-no sobre dois fundamentos diferentes e o resultado também foi diferente. Um dos homens construiu sobre a rocha, isto é, dando ouvidos à Palavra do Senhor; sendo obediente. Quando veio a tempestade, a casa permaneceu. O outro construiu sobre a areia, isto é, seguindo o seu próprio entendimento sem dar ouvidos à Palavra do Senhor; sendo desobediente. Quando veio a tempestade, a casa ruiu. Uma das formas de prosperar leva à prosperidade sólida. A outra leva à prosperidade enganosa, incerta e passageira.

Como se prospera da forma errada

1. Quando a prosperidade é fruto da opressão

Provérbios 11.24 fala acerca daqueles que retêm “mais do que é justo” e Tiago fala a respeito dos ricos que retêm os salários dos trabalhadores (Tg 5.1-6). Esses são os que prosperam porque roubam o seu próximo em negócios enganosos e roubam a Deus nos dízimos e ofertas. Apesar de ricos não são prósperos porque não possuem paz e nem a bênção de Deus. (Tg 5.4)

2. Quando prosperamos valorizando muito o que é temporal e desprezando os valores eternos


Jesus contou a parábola de um rico que valorizou muito as suas colheitas, ocupou-se em construir novos celeiros, mas desprezou o estado da sua alma e não se preparou para o momento em que esta lhe seria pedida. Jesus disse que esse homem foi chamado de “louco” (Lc 12.13-21). Quando se confia nas riquezas estamos desprezando os valores eternos. (Pv 11.28)

3. Quando prosperamos com o coração no dinheiro


Ouvindo-o Jesus, disse-lhe: Uma coisa ainda te falta, vende tudo o que tens, dá-o aos pobres e terás um tesouro nos céus; depois, vem e segue-me. (Lc 18.22)

4. Quando prosperamos a qualquer custo, ignorando os princípios de Deus

É a prosperidade que se alcança quando não se olham os meios para atingir fins. (Jr 17.11; Pv 28.20)
Pessoas que prosperam dessa forma, prosperam fora do modelo de Deus e acabam por ter uma prosperidade enganosa. A prosperidade segura e abençoada é aquela que é construída como resultado de seguirmos as instruções de Deus.

5. Quando prosperamos pelo engano

Balança enganosa é abominação para o Senhor, mas o peso justo é o seu prazer. (Pv 11.1)

6. Quando prosperamos e perdemos a humildade

Melhor é o que se estima em pouco e faz o seu trabalho do que o vanglorioso que tem falta de pão. (Pv 12.9)

7. Quando queremos prosperar sem trabalho

O que lavra a sua terra será farto de pão, mas o que corre atrás de coisas vãs é falto de senso. (Pv 12.11)
Os planos do diligente tendem à abundância, mas a pressa excessiva, à pobreza. (Pv 21.5)

8. Quando a prosperidade é fruto da esperteza

Os bens que facilmente se ganham, esses diminuem, mas o que ajunta à força do trabalho terá aumento. (Pv 13.11)

9. Quando a prosperidade vem pela mentira

Trabalhar por adquirir tesouro com língua falsa é vaidade e laço mortal (Pv 21.6)

10. Quando adquirida por favores políticos

Muitos buscam o favor daquele que governa, mas para o homem a justiça vem do Senhor. (Pv 29.26)
A riqueza se torna bênção quando ela se converte junto com você
Entrementes, Zaqueu se levantou e disse ao Senhor: Senhor, resolvo dar aos pobres a metade dos meus bens; e, se nalguma coisa tenho defraudado alguém, restituo quatro vezes mais. Então, Jesus lhe disse: Hoje, houve salvação nesta casa, pois que também este é filho de Abraão. (Lc 19.8,9)

E eu vos recomendo: das riquezas de origem iníqua fazei amigos; para que, quando aquelas vos faltarem, esses amigos vos recebam nos tabernáculos eternos. Quem é fiel no pouco também é fiel no muito; e quem é injusto no pouco também é injusto no muito. Se, pois, não vos tornastes fiéis na aplicação das riquezas de origem injusta, quem vos confiará à verdadeira riqueza? (Lc 16.9-11)

Exorta aos ricos do presente século que não sejam orgulhosos, nem depositem a sua esperança na instabilidade da riqueza, mas em Deus, que tudo nos proporciona ricamente para nosso aprazimento; que pratiquem o bem, sejam ricos de boas obras, generosos em dar e prontos a repartir; que acumulem para si mesmos tesouros, sólido fundamento para o futuro, a fim de se apoderarem da verdadeira vida. (1Tm 6.17-19)

sexta-feira, 15 de abril de 2011

A religião é morte





Jerusalém talvez seja o lugar mais religioso do planeta, porque ali convivem as maiores religiões da Terra. Existem muitos lugares de peregrinação no mundo, mas nenhum como Jerusalém. Apesar disso é uma cidade que respira ódio e segregação. Em nenhum outro lugar vemos com tanta clareza como a religião é contra Deus e Seu propósito. Cristo rejeitou a religião completamente e disse que Ele é o caminho, a verdade e a vida. Só podemos conhecê-lO no caminho (indo), na verdade (sendo) e na vida (existindo).
O cristianismo não foi criado por Cristo, mas por Constantino no quarto século. O cristianismo de hoje é apenas mais uma das muitas religiões. Religião portanto, não é forma. Religião é tudo aquilo em que existe negócios com Deus. Nós pensamos que religião é forma e rito. Mas não é. Pode ser, mas não necessariamente. A religião é conteú¬do, não forma; embora toda religião assuma uma fôrma ou forma. Não somos religião. Quem olha de fora, vê religião nas formas do lugar e do culto.
Entretanto, este é um lugar sem barganhas com Deus. Ou seja: a cara é religiosa, mas o espírito não é; pois o que define religião é o conteúdo.
Na religião:
Guardam-se tradições e valores que possuem uma origem boa.
Foram religiosos que compilaram e preservaram a Bíblia.
Deus também ensinou rituais no Velho Testamento e parece claro um tipo de ritual em Apocalipse.
Mas na religião nota-se que:
Todo religioso é sectário e preconceituoso.
Todo religioso pensa que Deus é patrimônio de sua religião.
Todo religioso possui justiça própria, pois supõe agradar a Deus com performances exteriores e, por isso, faz trocas e negócios com Deus.
A religião eleva o ego do homem, fazendo-o pensar que é melhor que os demais. Em Mateus 15, o Senhor faz uma menção de Isaías para mostrar a morte da religião:
O Senhor disse: Visto que este povo se aproxima de mim e com a sua boca e com os seus lábios me honra, mas o seu coração está longe de mim, e o seu temor para comigo consiste só em mandamentos de homens, que maquinalmente aprendeu. (Is 29.13)

Características da religião:
1. A religião é algo completamente exterior
O Senhor não está interessado em coisas exteriores. Ele olha primeiro para o nosso coração. Se o nosso coração está longe do Senhor, de que adianta um louvor exterior?
2. Honra a Deus com os lábios, mas o coração está longe
As três religiões ali em Jerusalém são puramente rituais e repetitivas. Não há preocupação em relacionar-se com Deus, mas em cumprir rituais complicados e vazios.
3. É uma coleção de mandamentos humanos
Sabemos que toda tradição é estabelecida em algum momento por alguém que desejava reafir¬mar alguma verdade, o problema é que com o passar do tempo a finalidade se perde e fica apenas o conteúdo exterior vazio.
Jesus condenou claramente a tradição dos fariseus, porque eram tantas as regras que eles haviam acrescentado que o espírito da lei e da vontade de Deus se perdeu e ficou apenas o fardo para as pessoas.
Existem no meio evangélico muitas tradições que não foram estabelecidas pela Palavra de Deus. E não precisamos respeitá-las.
4. É uma vida mecânica e maquinal
4O problema da espiritualidade exterior é que ela é maquinal, ou seja, nem sequer é fruto de reflexão, mas é puramente mecânica.
5. É um ritual vazio
Hipócritas! Bem profetizou Isaías a vosso respeito, dizendo: Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. E em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos de homens. (Mt 15.7-9)
O Senhor Jesus disse em Mateus (15.9) que a adoração deles é vã. Isso nos mostra que existe um tipo de adoração que é vã e inútil. Uma espiritualidade exterior produz contradições e hipocrisias do tipo: o órgão é sagrado e a guitarra é profana. Deus olha o coração e não o instrumento exterior.
A religião produz um crente que vive uma vida dividida: o culto é sagrado, mas o trabalho não. Ele entra e sai da presença de Deus sem entender que carrega Deus consigo. O programa e a ordem estão acima das pessoas e suas necessidades. No Velho Testamento aconteceu algo interessante. Davi levou a arca da aliança para Jerusalém e armou uma tenda de adoração para ela, enquanto o tabernáculo continuou em Siló com os mesmos rituais, mas sem a arca da aliança que simboliza a presença de Deus.

sábado, 19 de março de 2011

Promova a UNIÃO de Cristo entre a Igreja!!!


Nosso Deus não mudou desde o Antigo Testamento e nunca mudará, mas uma pergunta que muita gente não gosta de falar é: “Por que não vemos as mesmas maravilhas da Bíblia no dia de hoje?”

São vários motivos, mas o principal é a falta de união no meio do povo de Deus. Muitas pessoas falam que outras religiões pagãs tem mais união do que a do povo de Deus, não posso ficar extremamente contra a essa opinião. Uma das coisas principais que Deus quer que seu povo é união para Ele faça milagres, de modo que todos possam sentir o seu amor e poder.

No livro de Josué, fala que ao chegar aos pés do Jordão, Deus mandou a Josué falar ao povo que santifica-se, e para que seguissem a arca do concerto que leva a presença de Deus. Para termos a União de Cristo é preciso que nós viemos a nos santificar e a ser direcionados pelo seu Espírito Santo. Quando há união no meio da Igreja, Deus se espalha em todos os corações e todos sentiram como naquele dia de Pentecostes que foram vistas chamas como de fogo na cabeça dos cristãos e seu exemplo serviu para salvar mais de três mil almas e deu início a uma grande obra missionária em Jerusalém.

A união é uma cura contagiosa. Se você começar alguém será contagiado, depois será o departamento que você participa, depois a sua igreja, podendo até virar um avivamento que muda uma sociedade.

Vou dar alguns exemplos de como a união é contagiosa: pense em uma pilha de taças de modo a forma uma pirâmide (como aqueles que se vêem em casamentos), agora derrame uma garrafa de champanhe no primeiro e todos embaixo vou ser cheios, o primeiro enche dois, depois quatro, até que todos transbordam.

Seja um agente de união de Deus na sua igreja, não dê lugar a intriga ou inveja, seja um influenciador e não um influenciado, seja uma pessoa humilde e não uma pessoa humilhada. Sabia principalmente disto e guarde no seu coração: “A vitória da Igreja vêm pela união, e individualmente vêm pela humildade” .

Agora irmãos espero que Deus lhe dê ânimo e força para que possam ser agentes de união em suas igrejas como também sou na minha.

Que Deus os abençoe!!!



quarta-feira, 16 de março de 2011

Quem são os cristãos secretos?






Um "cristão secreto" é um cristão perseguido cuja vida corre perigo constante por ele estar seguindo Jesus. Na maioria das vezes, um cristão secreto é convertido do islamismo, mas pode ser encontrado em outras culturas também. Por se converter, ele foi agredido ou ameaçado por seu governo, seus amigos e até pela própria família. Cristãos secretos têm necessidades únicas que só podem ser supridas pelo apoio dos demais membros do Corpo de Cristo. 

Vale  apena conferir esse vídeo!

sábado, 12 de março de 2011

Por que Deus permite desastres naturais, tais como terremotos, ciclones e tsunamis?


A Bíblia proclama que tudo subsiste em Jesus Cristo (Colossenses 1:16-17). Deus pode prevenir desastres naturais? Com certeza! Deus às vezes influencia o clima? Sim, veja Deuteronômio 11:17 e Tiago 5:17. Será que Deus às vezes causa desastres naturais como julgamento contra o pecado? Sim, veja Números 16:30-34. O livro de Apocalipse descreve muitos eventos que com certeza poderiam ser descritos como desastres naturais (Apocalipse capítulos 6,8 e 16). Será que todo desastre natural é uma punição de Deus? Absolutamente não!

Da mesma forma que Deus permite que pessoas más cometam atos de maldade, Deus permite que a terra demonstre as consequências do pecado sobre a Criação. Romanos 8:19-21 diz: “A ardente expectativa da criação aguarda a revelação dos filhos de Deus. Pois a criação está sujeita à vaidade, não voluntariamente, mas por causa daquele que a sujeitou, na esperança de que a própria criação será redimida do cativeiro da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus.” A Queda da humanidade em pecado afetou tudo, incluindo o universo onde habitamos. Tudo na criação está sujeito à “vaidade” e “corrupção”. O pecado é a causa principal para os desastres naturais, da mesma forma que é a causa principal para a morte, doenças e sofrimento.

Então, estamos de volta onde começamos. Podemos entender por que desastres naturais acontecem. O que não entendemos é por que Deus permite que eles aconteçam. Por que Deus permitiu que o tsunami matasse mais de 225.000 pessoas na Ásia? Por que Deus permitiu que o furacão Katrina destruísse as casas de centenas de milhares de pessoas? O que podemos saber é que... Deus é bom! Há tantos milagres surpreendentes que acontecem ao mesmo tempo dos desastres naturais – prevenindo uma quantidade ainda maior de mortes. Desastres naturais causam milhares de pessoas a reavaliarem as suas prioridades na vida. Centenas de milhões de dólares em ajuda são enviados para as pessoas que estão sofrendo. Ministérios Cristãos têm a oportunidade de ajudar, ministrar, aconselhar, orar – e levar pessoas a terem fé em Cristo! Deus pode – e assim o faz – trazer coisas boas dessas terríveis tragédias (Romanos 8:28).
 
É importante mantermos nosso espírito cheio da Palavra de Deus, que nos conforta e nos ensina na verdade. Devemos estar em constante oração por todos aqueles que estão sofrendo no Japão. Também precisamos orar por aqueles que têm família e amigos lá e têm vivido grande aflição.
Que Deus conforte nossos corações e diminua os dias de nossa luta, e, acima de tudo, que Sua graça sobre nós seja maior do que qualquer tribulação.

“Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados.” (Mt 5:4)

 

segunda-feira, 7 de março de 2011

Somos iguais aos tolos?

“Não respondas ao insensato segundo a sua estultícia, para que não te faças semelhante a ele.” (Pv 26. 4)

O mundo é um lugar repleto de tolos que se acham sábios. Eles estão por toda parte e por toda parte espalham suas atitudes tolas. Isso significa que todos os dias convivemos com pessoas que agem contrariamente ao que diz a palavra de Deus. Apesar de sabermos e até identificarmos estas pessoas e suas atitudes, em muitos momentos somos parte do grupo delas. Isso porque respondemos a muitas das suas atitudes com atitudes no mesmo nível.

A sabedoria dos provérbios nos ensina que se respondemos ao insensato segundo a sua própria tolice não somos melhores do que ele, pelo contrário, somos iguais. “Não respondas ao insensato segundo a sua estultícia, para que não te faças semelhante a ele.” (Pv 26. 4)

Foi pensando assim que Jesus ensinou tantas vezes a respondermos com sabedoria às provocações dos tolos. Num desses ensinos Jesus exemplificou, dizendo: “Eu, porém, vos digo: não resistais ao perverso; mas, a qualquer que te ferir na face direita, volta-lhe também a outra” (Mt 5. 39). Se dermos o tapa de volta nos assemelhamos ao perverso que nos estapeou; se viramos a face, mostramos uma atitude mais sublime que mostra que somos de Deus.

A resposta do servo de Deus sempre deve ser recheada de sabedoria. Se alguém desaprova as atitudes tolas dos tolos, mas responde como eles às situações da vida, certamente também é um tolo. A resposta correta, de acordo com o desejo de Deus, atua com um poder gigantesco sobre a vida das pessoas, a ponto de envergonhá-las e fazê-las refletir.

“Mas façam como dizem as Escrituras: “Se o seu inimigo estiver com fome, dê comida a ele; se estiver com sede, dê água. Porque assim você o fará queimar de remorso e vergonha. ” (Rm 12. 20 – NTLH)

A quem você se assemelha em suas atitudes? A um tolo ou a um sábio?

sábado, 26 de fevereiro de 2011

Qual é a função da mulher que serve a Deus?



Deus tem chamado muitas para serem mulheres virtuosas. Mulheres desprendidas, marcadas pelo poder de Deus, ou seja, mulheres que tem o perfil e o caráter de um Deus forte.

CONFIÁVEL - Em primeiro lugar, podemos dizer que a mulher virtuosa é aquela em que se pode confiar “O coração do seu marido confia nela, e não lhe haverá falta de lucro” (Prov. 31:11). É uma mulher plenamente confiável. Não vive de trapaças e mentiras. Antes tem a sua vida firmada na verdade e por andar na verdade, é fiel sempre.

BONDOSA – A mulher virtuosa é do bem. “Ela lhe faz bem, e não mal, todos os dias da sua vida” (Prov. 31:12) – Não é aquela mulher encrenqueira, que arranja briga por tudo. Ao contrário, é uma mulher serena, que sempre busca o bem de todos e por este motivo, todos sentem prazer em estar a seu lado. Ou seja, por desejar o bem se torna uma pessoa agradável.

NÃO SUPORTA A PREGUIÇA – A mulher virtuosa não é preguiçosa. “Ela busca lã e linho, e trabalha de boa vontade com as mãos” (Prov. 31:13). A mulher virtuosa é guerreira, não suporta a preguiça. Ao contrário, tem disposição para lutar por seus sonhos. Todas as tarefas que realiza faz de bom grado, sem murmurações e lamento. Por este motivo, nada lhe falta.

É FORTE – A mulher virtuosa é uma fortaleza. “Cinge os seus lombos de força, e fortalece os seus braços” (Prov. 31:17) – É uma mulher forte, pois nada consegue destruir a sua fé e esperança. Pode até chorar mas logo enxuga as suas lágrimas, pois deposita sua vida nas mãos de Deus. Passa por dificuldades, como todo ser humano, mas jamais perde a sua força de viver, de crer nas promessas de Deus.

É UNGIDA- A mulher virtuosa nunca deixa faltar o óleo da unção de Deus em sua vida. “Prova e vê que é boa a sua mercadoria; e a sua lâmpada não se apaga de noite” (Prov. 31:1). É uma mulher que nunca permite que a chama do Espírito Santo se apague em sua vida, em seu coração, pois compreende que o óleo da unção de Deus é sua essência , o que necessita para ser feliz. Ainda que viva momentos difíceis não deixa de buscar a Deus, de manter firme a sua aliança com o Altíssimo.




quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Por que Deus às vezes não responde às nossas orações?

 
 A promessa da Bíblia é:
“E esta é a confiança que temos nele, que, se pedirmos alguma coisa, segundo a sua vontade, Ele nos ouve. E, se sabemos que nos ouve em tudo o que pedimos, sabemos que alcançamos as petições que lhe fizemos.” (1 João 5.14-15)
Por isso podemos ter a certeza que algo está errado se Deus não responde às nossas orações.
Porque é que as nossas orações não estão respondidas?
Quando o nosso pedido está errado, Deus diz ‘não’
Quando o tempo apropriado não chegou, Deus diz ‘ainda não’
Quando temos algo errado em nós, Deus espera até que endireitemos a nossa vida.
Mas quando o nosso pedido está certo, o tempo está certo e nada está errado na nossa vida, Deus responde a nossa oração.

1. O nosso pedido está errado
Temos exemplos na Bíblia quando Jesus recusou conceder aquilo que lhe foi pedido.
Por exemplo em Mateus 20 a mãe de Tiago e João pediu Jesus: Concede que estes meus dois filhos se sentem, um à Tua direita e outro à Tua esquerda, no Teu reino.”
Jesus respondeu: “Não me pertence concedê-lo; mas isso é para aqueles para quem está preparado por meu Pai.”
Neste caso, o motivo foi errado porque aquela mulher queria que os seus filhos fossem importantes no futuro reino de Deus.   Por isso, é muito importante olharmos às nossas motivas quando pedimos algo de Deus.  Vamos ver algumas motivas erradas:
    1. Queremos que uma outra pessoa com quem temos de relacionar possa mudar nas suas atitudes ou carácter.  Será que somos realmente preocupados com o bem-estar da outra pessoa, ou simplesmente queremos que a nossa vida seja mais fácil?


     2. Queremos dinheiro, fama ou qualquer outra coisa que faz com que os outros nos
    respeitem mais. Deus não nos dará glória a nós, e sempre que pedimos algo d'Ele, deveríamos perguntar:
Será que isto que estou a pedir trará glória a Deus?
Será que isto que estou a pedir fará crescer o Seu reino?
Será que isto que estou a pedir ajudará outros?
Será que isto que estou a pedir ajudará o meu crescimento espiritual?
                           
Se Deus ainda não respondeu a sua oração, é bem possível que as suas motivas não estão certas e é preciso de pedir perdão ao Deus e de Lhe pedir ajuda para orar segundo a Sua vontade.
Uma outra razão pela qual Deus não nos responde é que o nosso pedido, embora pareça bom,  não é aquilo que Deus quer por nós.  Por exemplo, o Apostolo Paulo pediu três vezes que Deus removesse o seu ‘espinho na carne’ mas Deus respondeu que não.  Ele disse:
“A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza.”
Os caminhos e pensamentos de Deus não são como nossos pensamentos.  Às vezes Ele não responde na maneira como queremos, e nunca saberemos a razão para isto até que cheguemos ao céu.  Deus sabe melhor do que nós aquilo que precisamos, e quer  que confiemos n’Ele, mesmo que não entendamos os seus propósitos.   
Isaías 55.8,9 diz: 
“Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o Senhor. Porque, assim como o céu é mais alto do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos.”
 2. O tempo está errado
Vivemos numa sociedade onde tudo tem de acontecer instantaneamente. Muitas vezes somos como crianças que querem coisas imediatamente. Deus tem as suas razões quando Ele não nos concede os nossos pedidos no momento em que queremos. As seguintes podem ser algumas das razões:
1.      Às vezes Deus quer provar a nossa fé. Será que vamos continuar a confiar n’Ele mesmo quando não vemos a resposta à nossa oração?
 2. Com a passagem de tempo veremos a situação dum ângulo diferente e modificaremos o nosso pedido até que seja mais sincronizado com a vontade de Deus.
3. Deus está interessado na nossa carácter; que desenvolvamos paciência, submissão, tolerância, persistência, e confiança. Ganhamos e crescemos espiritualmente através de dor, mágoas, lutas, confusão e desilusão. Talvez não vejamos as razões pelas demoras, mas quando a resposta vier, entenderemos porque Deus demorou e ficaremos muito alegres e gratos por causa da sabedoria de Deus em nos fazer esperar.
   
3. Algo está errado em nós
Vamos ver algumas barreiras que nos impedem receber respostas às nossas orações:
    1.  Pecado não confessado corta o nosso relacionamento com Deus. Se temos pecados ou atitudes errados na nossa vida, primeiro temos de nos aproximar a Deus em arrependimento e pedir-Lhe perdão.
    2. Conflitos não resolvidos com outros. Não vale a pena tentar orar quando o nosso relacionamento com o cônjuge, o colega, o vizinho, o filho etc. não está bem; primeiro temos de nos reconciliamos e depois podemos orar.  O princípio disto está explicado por Jesus em Mateus 5.23,24: 
Portanto, se estiveres apresentando a tua oferta no altar, e aí te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa ali diante do altar a tua oferta, e vai conciliar-te primeiro com teu irmão, e depois vem apresentar a tua oferta.”
Nem sempre vamos conseguir restaurar o nosso relacionamento com o outro, porque  talvez ele não queira reconciliação ou não nos perdoe, mas mesmo assim, devemos tentar.
3.  Egoísmo – as nossas motivas estão errados (explicado em cima).
4.Orgulho - Tiago 4.6 diz: "Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes."
5.Somos mornos. Jeremias 29.13 diz: "Buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes de todo o vosso coração."
6.Falta de compaixão para com os outros. Provérbios 21:13 diz: Quem tapa o seu ouvido ao clamor do pobre, também clamará e não será ouvido.
 
7.Falta de perdoar aos outros. Deus não nos perdoará a nós e não dará ouvidos às nossos orações. Jesus disse:
   "Se, porém, não perdoardes aos homens, tampouco vosso Pai perdoará vossas ofensas." (Mateus 6.15)
8.Falta de obediência - 1 João 3:22 diz:"e qualquer coisa que lhe pedirmos, dele a receberemos, porque guardamos os seus mandamentos, e fazemos o que é agradável à sua vista."
9.Falta de persistência.  A história em Marcos 7.25-30 relata a persistência da mulher que rogava Jesus que expulsasse de sua filha o demónio. Respondeu-lhe Jesus: "Deixa que primeiro se fartem os filhos; porque não é bom tomar o pão dos filhos e lança-lo aos cachorrinhos."
Ela, porém, replicou, e disse-lhe:
"Sim, Senhor; mas também os cachorrinhos debaixo da mesa comem das migalhas dos filhos."
Então ele lhe disse:
"Por essa palavra, vai; o demónio já saiu de tua filha."
10. Falta da fé.  Está escrita em Tiago:
‘Peça porem com fé, não duvidando; pois aquele que duvida é semelhante e onda do mar, que é sublevada e agitada pelo vento. Não pense tal homem que receberá do Senhor alguma coisa.’ (Tiago 1.6,7.)
Também está escrito que Jesus não fez muitos milagres na sua terra, por causa da incredulidade das pessoas lá. (Mateus 13.58)

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

O poder do silêncio

Aprende com o silêncio a ouvir os sons interiores da sua alma, a calar-se nas discussões e assim evitar tragédias e desafetos... Aprende com o silêncio a aceitar alguns fatos que você provocou, a ser humilde deixando o orgulho gritar lá fora, evitar reclamações vazias e sem sentido... Aprende com o silêncio a reparar nas coisas mais simples, valorizar o que é belo, ouvir o que faz algum sentido... Aprende com o silêncio que a solidão não é o pior castigo, existem companhias bem piores... Aprende com o silêncio que a vida é boa, que nós só precisamos olhar para o lado certo, ouvir a música certa, ler o livro certo. Aprende com o silêncio que tudo tem um ciclo, como as marés que insistem em ir e voltar, os pássaros que migram e voltam ao mesmo lugar, como a Terra que faz a volta completa sobre o seu próprio eixo, complete a sua tarefa. Aprende com o silêncio a respeitar a sua vida, valorizar o seu dia, enxergar em você as qualidades que você possui, equilibrar os defeitos que você tem e sabe que precisa corrigir e enxergar aqueles que você ainda não descobriu . Aprende com o silêncio a relaxar, mesmo no pior trânsito, na maior das cobranças, na briga mais acalorada, na discussão entre familiares... Aprende com o silêncio a respeitar o seu "eu", a valorizar o ser humano que você é, a respeitar o Templo que é o seu corpo, e o Santuário que é a sua vida. Aprende hoje com o silêncio, que gritar não traz respeito, que ouvir ainda é melhor que muito falar... Na natureza tudo acontece com poder e silêncio, com um silêncio poderoso; por vezes, o silêncio é confundido com fraqueza, apatia ou indiferença. Pensa-se que a pessoa portadora dessa virtude está impedida de reclamar seus direitos e deve tolerar com passividade todos os abusos. O Sol nasce e se põe em profunda quietude; move gigantescos sistemas planetários, mas penetra suavemente pela vidraça de uma janela sem a quebrar. Acredita-se que o silêncio não combina com o poder, pois este tem se confundido com prepotência e violência. Acaricia as pétalas de uma rosa sem a ferir, e beija as faces de uma criança adormecida sem a acordar; aí uma vez vamos encontrar na natureza lições preciosas a nos dizer que o verdadeiro poder anda de mãos dadas com a quietude. As estrelas e galáxias descrevem as suas órbitas com estupenda velocidade pelas vias inexploradas do cosmos, mas nunca deram sinal da sua presença pelo mais leve ruído. O oxigênio, poderoso mantenedor da vida, penetra em nossos pulmões, circula discreto pelo nosso corpo, e nem lhe notamos a presença. A luz, a vida e o espírito, os maiores poderes do universo, atuam com a suavidade de uma aparente ausência. Como nos domínios da natureza, o verdadeiro poder do homem não consiste em atos de violência física, quando um homem conquista o verdadeiro poder, toda a antiga violência acaba em benevolência. A violência é sinal de fraqueza, a benevolência é indício de poder. Os grandes mestres sabem ser severos e rigorosos sem renegarem a mais perfeita quietude e benevolência. Deus, que é o supremo poder, age com tamanha quietude que a maioria dos homens nem percebem a Sua ação. Essa poderosa força, na qual todos estamos mergulhados, mantém o Universo em movimento, faz pulsar o coração dos pássaros, dos bandidos e dos homens de bem, na mais perfeita leveza. Até mesmo a morte, chega de mansinho e, como hábil cirurgiã, rompe os laços que prendem a alma ao corpo, libertando-a do cativeiro físico. O verdadeiro poder chega: sem ruído, sem alarde e sem violência. Sempre que a palavra poder lhe vier à mente, lembre-se do Sol: nasce e se põe em profunda quietude; move gigantescos sistemas planetários, mas penetra suavemente pela vidraça de uma janela e você só sabe pelo calorzinho que ele proporciona. Acarinha as pétalas de uma flor sem a ferir, beija as faces de uma criança adormecida sem a acordar. "Bem aventurados os mansos, porque eles possuirão a Terra". "O êxito ou o fracasso de sua vida não depende de quanta força você põe em uma tentativa, mas da persistência no que fizer." "Boa Terra em teus pés, Água o bastante em tua semente, bom Vento para o teu sopro, Fogo em teu coração e muito Amor em teu ser.” DESEJO UMA SEMANA DE PAZ E SILÊNCIO PARA VOCÊ. E em respeito a você, eu me calo, me silencio, para que você possa ouvir o seu interior que quer lhe falar, desejar-lhe uma vida vitoriosa .


"O êxito ou o fracasso de sua vida não depende


de quanta força você põe em uma tentativa,


mas da persistência no que fizer."

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Por que bons casamentos tropeçam em coisas ruins?

Há um texto na Bíblia, no livro de Eclesiastes, que revela o desejo do coração de Deus para cada casal: "Goza a vida com a mulher que amas..." (Ec 9.9).

Quando Deus planejou o casamento, Ele pensou em um relacionamento que proporcionasse ao casal alegria, felicidade, cumplicidade, prazer e paz. Infelizmente, com a queda (Gn 3) o homem passou a viver as conseqüências do pecado também no casamento. Mas Jesus se manifestou para trazer cura e restauração (Lc 19:10).
Hoje é possível ser feliz no casamento, basta praticar os princípios estabelecidos na Palavra do Senhor, que é o nosso manual de instrução (Sl 119:105).
Quando é que bons casamentos tropeçam em coisas ruins?
Quando as expectativas não são cumpridas.
Quando você se casou, o que você esperava do seu cônjuge?

Todos os jovens que estão se preparando para casar, nutrem expectativas em relação ao futuro cônjuge. A jovem desenha na sua mente tudo o que ela espera daquele que será o seu marido. Muitas dizem: meu futuro marido será sensível às minhas necessidades, romântico, gentil, afetuoso, generoso, bom amante, amigo, companheiro de todas as horas, trabalhador, bom genro, etc.

Não é diferente com o rapaz, que pensa: Minha futura esposa será romântica, generosa, mansa, carinhosa, boa amante, sensível as minhas necessidades, amiga, companheira e boa nora. Ai eles se casam, mas com um ano, os dois se frustram, porque nada daquilo que foi tão esperado acontece. Por quê?

Uma das razões é porque na maioria das vezes os casais não praticam a arte da comunicação construtiva. Um não sabe qual é a real necessidade do outro. Quando não há diálogo, as necessidades não são conhecidas e por isso não são supridas. Bons casamentos, onde os casais evitam tropeçar em coisas ruins, são aqueles onde os dois se preocupam em manter os canais de comunicação sempre abertos.
Nunca deixe o seu marido/esposa ficar tentando adivinhar quais são as suas carências, necessidades ou anseios. Converse, dialogue, explique, se abra.

Não existe outro caminho para superar este problema a não ser através da comunicação.
O que muitos não sabem, é que não basta escutar, é preciso ouvir com o seu coração o coração do outro.
Ouvir com sensibilidade é se importar com aquilo que é importante para o outro.
Que bom se você acordasse amanhã perguntado para si mesmo: "O que eu posso fazer hoje para suprir uma carência ou necessidade do meu cônjuge?"
Esse é um dos segredos de uma vida a dois que vale a pena ser vivida! Reflita sobre isso e compartilhe com o seu cônjuge.